Feira de Soluções para a Saúde

Inovações aplicadas à

 Zika, Dengue e Chikungunya,
e a Síndrome Congênita do Zika (SCZ)

O projeto

A infecção pelo Zika vírus e as doenças relacionadas a ele têm gerado uma série de incertezas. Aliados a essas incertezas, existem aspectos novos, como a rápida expansão do vírus pelas Américas e o aparecimento de doenças neurológicas graves, como a microcefalia, a Síndrome de Guillain-Barré associada ao Zika vírus e possivelmente outras doenças ainda desconhecidas.

 

Diante das preocupações geradas pelas chamadas arboviroses (doenças causadas por arbovírus, como os da dengue, febre amarela, chikungunya etc), a Fiocruz em cooperação com o Ministério da Saúde (por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde – SVS), iniciaram o projeto “Plataforma de vigilância de longo prazo para a Zika e Microcefalia no âmbito do SUS”. O objetivo deste projeto prevê uma coorte de acompanhamento de crianças nascidas entre 2001 e 2015.

O objetivo geral é constituir uma plataforma de integração de conhecimentos da coorte epidemiológica (coorte Zika/Microcefalia) com diferentes bases de dados da saúde (Sinasc/Sisvan/SIM/SIH/SIASUS/RESP/GAL) e de políticas de desenvolvimento social (CadÚnico/PBC) para acompanhamento de longo prazo das condições de vida da população acometida com microcefalia e pelo zika vírus.

Os dados destas bases serão vinculados para análise longitudinal de todas as crianças nascidas e registradas no Sinasc, no período referido, para estudar as relações de microcefalia com zika vírus e com outras infecções. Essa plataforma é um conjunto de novos métodos e ferramentas que serão desenvolvidas no Centro de Integração de Dados e Conhecimento em Saúde (CIDACS), da Fiocruz Bahia, e localizado no Parque Tecnológico da Bahia. O CIDACS, assim como a Plataforma, visa a “congregar pesquisa, capacitação e processos de democratização do acesso a dados e conhecimento”.

Para o desenvolvimento do projeto, foram estabelecidos cinco eixos de atuação:

  1. Acompanhamento da população acometida pelo Zika Vírus/microcefalia, em forma de coorte epidemiológica.
  2. Realização de prospecção das iniciativas de pesquisa, controle e tratamento de arboviroses relacionadas com a tríplice epidemia (Zika/Dengue/Chikungunya).
  3. Fortalecimento de propostas de colaboração/cooperação na rede do complexo produtivo da saúde (ICT/ empresas/ sociedade).
  4. Definição de protocolos de acesso a informações de saúde pública e pessoais.
  5. Desenvolvimento de banco de dados de evidências científicas seguindo os preceitos de openscience/opendata.

As feiras

Pelo projeto Plataforma de vigilância de longo prazo para a Zika e Microcefalia no âmbito do SUS, e especialmente pelo seu 3, serão realizadas cinco Feiras de Soluções para a Saúde, uma em cada região brasileira.

O objetivo delas é criar espaços de diálogos regionais e ativar redes de cooperação para a apresentação e difusão de inovações tecnológicas, sociais e de serviços de saúde voltadas à Zika, Dengue e Chikungunya, no combate aos vetores e à Síndrome Congênita do Zika. A Feira é um projeto científico e inovador, pois permite a troca de experiências e conhecimentos e a formação de parcerias e redes cooperativas entre públicos dos três eixos de atuação:

  • Soluções de serviços
    Saberes e práticas desenvolvidas nos serviços de saúde, meio ambiente, educação e assistência social.
  • Soluções sociais
    Ações desenvolvidas por movimentos sociais e outras organizações da sociedade civil.
  • Soluções industriais
    Produtos de forte conteúdo científico desenvolvidos em ICTs ou laboratórios industriais destinados à produção nos setores industriais de base química, biotecnológica, mecânica, eletrônica ou de materiais.

Estruturada nestes três grandes eixos, as feiras pretendem reunir profissionais e gestores da saúde, pesquisadores e trabalhadores dos setores saúde, educação, assistência social e meio ambiente, movimentos sociais organizados e estudantes. Além deles, também os órgãos de fomento à pesquisa, instituições de pesquisas, empresários, empreendedores, representantes de associações e do setor produtivo de medicamentos, equipamentos e diagnóstico.

Serão diferentes instituições, que têm buscado o enfrentamento do vetor das doenças e de suas consequências, e também lutado pela defesa e promoção dos direitos das populações acometidas – a maioria em situação de fragilidade social.

Dentro do eixo escolhido, os inscritos apresentarão suas produções no campo da pesquisa científica, suas inovações tecnológicas, práticas e iniciativas de serviços de saúde e as iniciativas da sociedade civil. As inscrições para a feira serão realizadas dentro das categorias a seguir:

  • Atenção: soluções ou práticas relacionadas à área de assistência e cuidado individual ou coletivo para melhoria do atendimento das necessidades de saúde e oferecer maior qualidade de vida ao paciente.
  • Comunicação e Educação: soluções ou práticas que visem as estratégias de interação, divulgação, mobilização, conscientização e fortalecimento da cidadania, além de formação, capacitação e qualificação.
  • Controle social e Participação popular: práticas de legitimação dos interesses da população no exercício do controle social.
  • Diagnóstico: soluções ou produtos relativos a kits laboratoriais, reagentes, imagens, dentre outros para determinar e conhecer a natureza das doenças pela observação dos seus sintomas e sinais.
  • Gestão: soluções ou práticas que auxiliem as ações e serviços de gestão em saúde, governança e regulação.
  • Prevenção: soluções, práticas ou produtos relacionados a medidas gerais individuais, coletivas e educativas que objetivam melhorar o bem-estar geral dos indivíduos para que resistam às agressões de agentes bem como o controle de agentes etiológicos.
  • Promoção da saúde: soluções ou práticas relacionadas à capacitação das pessoas e comunidades de modificarem os determinantes da saúde em benefício da qualidade de vida da população.
  • Vigilância em saúde: soluções que visam o monitoramento, sistemas de notificação e informação úteis nas práticas de vigilância em saúde, seja ativa ou passiva.
  • Tratamento: soluções, práticas ou produtos para aliviar ou curar uma doença, podendo ser médico ou farmacológico (fármacos ou medicamentos), cirúrgico ou de caráter curativo e mesmo soluções utilizadas em tratamentos alternativos e os frutos do conhecimento popular.

O Relatório

Caso tenha interesse em conhecer em detalhes tudo o que aconteceu na Feira de Soluções para a Saúde Zika, foi elaborado um relatório bem detalhado que pode ser acessado clicando na imagem abaixo.